As novas estações da Linha 5-Lilás

Nesta quinta-feira estivemos visitando as novas estações da Linha 5-Lilas do Metrô: Brooklin, Borba Gato e Alto da Boa Vista. E, embora ainda faltem coisas para serem ajeitadas, é possível seguir com os testes para sua abertura definitiva.

A operação dos trens é entre Adolfo Pinheiro e Brooklin. É um trem só, que opera em via única, indo e voltando. A entrada é gratuita e, se o usuário quiser prosseguir pela Linha 5-Lilás, deverá descer em Adolfo Pinheiro e entrar no sistema pagando a passagem.

Mezanino da estação Borba Gato.

Neste primeiro momento, as três estações funcionarão em horário reduzido: das 10h às 15h, de segunda a sábado, inclusive feriados. Esse período, segundo o Metrô, segue um padrão internacional. Ele é específico para observar o comportamento dos equipamentos, procedimentos dos funcionáros e dar rodagem aos sistemas que controlam a operação. Já neste dia, pudemos observar um exemplo do porquê desse período.

Nas paradas de algumas viagens, observamos que o trem demorava muito para abrir as portas. Elas só abriam depois de uma pequena movimentação, de mais ou menos um metro, semelhante a um “tranco”. Isso ocorreu várias vezes e deve-se ao alinhamento incorreto do trem. Durante esse periodo, problemas como esse são avaliados e ajustados para que não ocorram durante a operação comercial.

Plataforma da Estação Brooklin: a direita, sentido Chácara Klabin; a esquerda, sentido Capão Redondo. As portas desta estação começarão a ser finalizadas em outubro.

Sobre as portas de plataforma: na estação Brooklin, nas plataformas só há os esqueletos das portas. Já na Borba Gato e Alto da Boa Vista, sequer há o esqueleto. Essas informações já haviam sido divulgadas pelo Metrô. Segundo a empresa, a Bombardier, que é quem vai instalar as portas, atrasou o cronograma. Para a Brooklin, as portas devem terminar de ser instaladas em outubro; para Borba Gato e Alto da Boa Vista, só em 2018.

Outros pontos que observamos:
– ainda há muita poeira nas estações Alto da Boa Vista e, principalmente, na estação Borba Gato – esta, a última a ser finalizada;
– na estação Brooklin ainda há vazamento em um dos banheiros;
– falta acabamento de alguns totens da Alto da Boa Vista;
– as escadas rolantes possuem aquele sistema que ajusta a velocidade: se está ociosa, roda mais devagar; se alguém sobe, ela fica mais rápida. No entanto, é necessário que a velocidade dela seja melhor regulada pois está rápida demais;
– melhorar a sinalização para acesso aos bicicletários ou paraciclos.

Apesar de todos os problemas, nenhum deles poderia ser um impeditivo para a abertura das estações para esta fase de “operação assistida”. Esses problemas, assim como outros apontados pela imprensa, como a falta de extintores de incêndio, podem ser corrigidos durante esta fase. Apesar de não ser o ideal, a entrega destas estações é mais do que necessária para a melhoria da mobilidade de quem mora na zona sul. Quanto mais rápido começar a operação assistida, mais rápido ela será liberada para comercial.

No entanto, situações como esta não podem virar regra. O custo da linha 5-Lilás hoje está em torno de R$ 10 bilhões de reais. Por esse valor, as estações já deveriam estar entregues em perfeitas condições. Que nossos prefeitos e governadores e todos os gestores públicos se esforcem para que nossos sistemas de transporte sejam entregues mais rapidamente e a um custo bem menor para a nossa população.

Algumas fotos das novas estações podem ser vistas no Instagram do Circular Avenidas, que você pode acessar pelas fotos ao lado ou pelo endereço instagram.com/circularavenidas .

José E. Sales

Estudante de jornalismo e um apaixonado por mobilidade urbana, especialmente por ônibus. Fale conosco: esales@circularavenidas.com.br

One thought on “As novas estações da Linha 5-Lilás

  • 13 de setembro de 2017 em 08:48
    Permalink

    Uma coisa que notei sobre o acabamento das estações:

    Tipo, já fui na abertura das estações da L4, da L2 (a partir de CKB) e do Monotrilho. Todas essas estações estavam muito mais acabadas do que as da L5. Sei lá, parece que na L5 eles relaxaram muito, deixando bem mais cru do que as outras…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.