Os reflexos do protesto na mobilidade na região da Paulista

O protesto contra os cortes nas verbas destinadas à educação complicou a mobilidade na região da Avenida Paulista no final desta tarde.

Tráfego de veículos desviado para a Alameda Santos.

 

O protesto teve seu início em frente ao Masp. A aglomeração de pessoas fez com que a Companhia de Engenharia de Tráfego – CET – fechasse a Avenida Paulista em seus dois sentidos. O trânsito foi desviado para as paralelas: Av. São Carlos do Pinhal, paralela ao sentido Consolação; e Alameda Santos, paralela ao sentido Paraíso.

Já pelo metrô, entramos na Linha 2-Verde na estação Consolação. A movimentação era grande para o horário, o que já indicava que muita gente optou por pegar o metrô por ali. Nós seguimos viagem e, durante a parada em Trianon, resolvemos descer para ver a movimentação nos acessos da estação. Um acesso estava liberado para entrada; o outro acesso, o Oeste, estava liberado somente para desembarque. Resolvemos deixar a estação e acompanhar como estava a entrada de usuários.

Embora várias notícias dessem conta do fechamento das estações, somente a estação Trianon-Masp teve problemas maiores. Por ser a mais próxima do Masp, por várias momentos os acessos foram parcialmente ou totalmente fechados. O acumulo de usuários que queriam embarcar era muito grande, o que levou as equipes do Metrô a realizar controles periódicos nos acessos.

Em dado momento, o único acesso aberto da estação Trianon-Masp, no lado ímpar da Paulista, era o próximo à Rua Pamplona. Os seguranças não chegaram a impedir a entrada, mas recomendavam aos usuários que seguissem até a estação Consolação devido à grande lotação no mezanino. Nas escadas, a descida era muito lenta.

Por volta das 17h45, conseguimos descer por esse acesso. Lá no corredor, a fila chegava à metade do corredor de acesso. Quando já estávamos próximo aos bloqueios (catracas), ela já chegava à escada da entrada do acesso. Na nossa frente, depois de enfrentar cerca de dez minutos de fila, um jovem não conseguiu entrar porque não havia crédito em seu bilhete único.

Dentro da área paga, a situação era bem mais tranquila. No sentido Vila Prudente, os trens vinham bem cheios da estação Consolação. Seguimos até a estação Paraíso, onde fizemos a baldeação para a Linha 1-Azul.

De acordo com a CET, a Avenida Paulista foi liberada às 20h05. Já o Metrô, que não fez nenhuma menção aos problemas e restrições de acesso em suas redes sociais – exceto por respostas a usuários que questionavam – não informou a que horas o fluxo na estação Trianon foi normalizado.

==========

Siga o Circular Avenidas nas redes sociais:

José E. Sales

Estudante de jornalismo e um apaixonado por mobilidade urbana, especialmente por ônibus. Fale conosco: esales@circularavenidas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.