Números da SPTrans mostram queda de usuários da 675L/10

Com a abertura da Linha 5-Lilás em toda a sua extensão, é fato que o fluxo de usuários do transporte coletivo por ônibus entre o Capão Redondo e o centro de São Paulo vai sofrer uma grande mudança. O que era uma previsão, agora são números ao alcance da população.

Nesta segunda-feira, a Prefeitura de São Paulo, no site da Transparência, divulgou as Planilhas com a demanda de passageiros entre os dias 15 e 19 de outubro. Os números mostram o que já era esperado: a linha 675L/10 Terminal Santo Amaro – Metrô Santa Cruz foi a que mais perdeu nesse período. Nos últimos quatro dias úteis antes da abertura das estações Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin em período integral  (8 a 11 de outubro), a linha teve uma média de 16.051 passageiros/dia. Nos quatro dias úteis após a abertura das estações (15 a 18 de outubro) a média da linha foi de 9.762 passageiros/dia. A queda foi de 39,18%. O motivo é porque ela é praticamente sobre posta à Linha 5 entre Santo Amaro e Santa Cruz. Ela atende às estações Largo Treze, Adolfo Pinheiro (só na ida), Alto da Boa Vista, Eucaliptos, Moema, AACD Servidor (somente na volta), Hospital São Paulo e Santa Cruz.

Fonte: site Transparência/Prefeitura de São Paulo

Outra linha que teve queda foi a 695T/10 Terminal Capelinha – Metrô Vila Mariana. Nos quatro dias úteis antes da abertura das estações, a média era de 25.047 passageiros/dia. Nos quatro dias úteis seguintes, a média foi de 20.177 passageiros/dia, uma queda de 19,44%. Sua irmã 695V/10 Terminal Capelinha – Metrô Ana Rosa, teve uma média de 9.644 passageiros/dia nos quatro dias úteis antes da abertura das estações; nos quatro dias úteis depois, a média foi de 7.865, uma queda de 18,44%.

E a última linha estrutural que analisamos foi a 675K/10 Terminal Jardim Ângela – Metrô Santa Cruz. Ela também sofreu impacto da abertura da Linha 5-Lilás em toda a sua extensão, embora ainda esteja transportando muitos passageiros. Nos quatro dias úteis anteriores à abertura a média era de 39.757 passageiros/dia útil. Nos quatro dias úteis seguintes a média foi de 32.270, uma queda de 18,83%.

Trem vs Ônibus – Esses números ainda vão sofrer muitas variações, já que a população ainda está conhecendo a Linha 5-Lilas e muita gente ainda não a usou como alternativa ao seu trajeto tradicional. Mas cabe lembrar que o fato das linhas de ônibus serem sobrepostas à Linha 5-Lilás não é um fator que as impede de existir ou é um motivo para extinguí-las. Existem muitas que são sobrepostas a outras linhas e que, até hoje, tem seu público cativo. Além disso, vale lembrar que o custo do transporte ainda é muito alto: uma integração custa R$ 6,96. Há muitas pessoas que ainda não tem condições de dispor dessa quantia R$ 2,96 duas vezes por dia (equivale a uma passagem e meia a mais por dia). O que se pode fazer é alterar o tipo de veículo. A 675L, por exemplo, poderia voltar a receber ônibus padron, com um ajuste na frequência. Um veículo menor, que ocupa menos espaço no corredor e, ainda, atende a população a contento.

==========

Siga o Circular Avenidas nas redes sociais:

José E. Sales

Estudante de jornalismo e um apaixonado por mobilidade urbana, especialmente por ônibus. Fale conosco: esales@circularavenidas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.